É licenciado pela Escola Superior de Dança (2008), formado pela Escola de Dança do Conservatório Nacional (2000), estudou dança no Joffrey Ballet School, em Nova Iorque (2001), tem o curso de cinema da New York Film Academy (2001) e o curso de Criatividade Publicitária da Restart, em Lisboa (2004).
Como bailarino, coreógrafo, ‘vídeo-designer’ e sonoplasta, tem desenvolvido trabalho entre Portugal, Alemanha e Bélgica.

Trabalhou, nos últimos anos, com Rui Horta, Né Barros, Silke Z., António Tavares, Tânia Carvalho, Ana Rita Barata, Pedro Ramos, Felix Lozano, Paulo Ribeiro, Luís Marrafa, entre outros. Participou em projetos e festivais tais como o projeto “Colina”, “Repérages”, Festival Temps D’Image, Festival In Shadow, NewAgeNewTime, Festival Dance Dance Dance, PT2013. Desde 2009, colabora em projetos com intérpretes com paralisia cerebral na companhia CiM. Tem trabalhado como desenhador de vídeo para peças em várias companhias de dança e teatro. Colabora igualmente em projetos multidisciplinares entre dança/linguagem computacional. Em 2009, foi nomeado para a categoria de Novo Talento, no Portugal Dance Awards. Em 2009, criou o projeto “To Fail”. Tem dado workshops de composição coreográfica e de vídeo em vários países europeus. De 2007 até 2015, foi artista residente na companhia alemã SilkeZ./ Resistdance. Foi convidado a integrar o elenco da última criação da Companhia Paulo Ribeiro, “A Festa (da Insignificância)”, estreada em 2015. Em 2014, foi nomeado para os prémios SPA, como coautor da peça “Abstand” de Luís Marrafa. Em parceria com São Castro, tem vindo a desenvolver, desde 2011, o projeto | ACSC |, do qual já foram criadas as peças “Wasteland”, “Play False”, “Rule of Thirds” e “Tábua Rasa”, esta última em cocriação com Xavier Carmo e Henriett Ventura, numa co-produção da Companhia Nacional de Bailado e Vo’Arte. Destaca ainda as nomeações de melhor peça do ano pelo Jornal Público com as obras “Tábua Rasa” – 5.º lugar – e “Lauf” – 10.º lugar. Com “Play False”, co-criada com São Castro, foi galardoado com o prémio de Melhor Coreografia 2015, pela Sociedade Portuguesa de Autores. Foi recentemente distinguido com a medalha de Prata de Valor e Distinção, pelo Instituto Politécnico de Lisboa.