Sinopse

Vislumbres de 20 anos a fazer orquéstica no reverso das palavras
(uma lentidão que parece uma velocidade)

 

A Companhia Nacional de Bailado, o Maria Matos Teatro Municipal e o São Luiz Teatro Municipal juntam-se na apresentação do Ciclo Tânia Carvalho, que decorre entre janeiro e março de 2018. O ciclo reúne alguns dos espetáculos mais representativos desta coreógrafa portuguesa, realizados ao longo dos últimos 20 anos. Serão ainda apresentadas duas novas obras: S (criação para a CNB) e Um Saco e uma Pedra (peça de dança para ecrã).
Tânia Carvalho trabalha pela primeira vez com a CNB que, para além de produzir e apresentar uma nova criação, remonta duas peças da coreógrafa para o seu repertório: Olhos Caídos, de 2010, e A Tecedura do Caos, de 2014, ambas estreadas na Bienal de Dança de Lyon.


PROGRAMA 2

A TECEDURA DO CAOS
2014

O corpo da Odisseia de Homero, olhado como o objeto monumental que representa por princípio algumas das leis fundamentais da poesia épica, é o de um percurso infinito de regresso que conduz a um reencontro e, por fim, a uma espécie particular de redenção do seu herói. A sua forma escrita põe em cena a fusão de uma crença inabalável e dos obstáculos que se erguem à sua frente, de uma esperança confiante e da dor trazida pela espera angustiada da união final. A sua forma movente, em contrapartida, quer traduzir esta intimidade do anseio e da luta constantes num abismo que é forçado a tornar-se um caos vivo. (…) A possessão que se apodera dos corpos aumenta até ao limite do tumulto e da loucura, até que se dissolve de novo e cede, entrega-se ao seu próprio desaparecimento. É a pura reciprocidade da eclosão e do apaziguamento. Assim é a consciência perplexa e frenética da dança, mesmo quando procura esquivar-se à sua vocação divina: ela persegue ainda, como é dito algures na Odisseia, o ato de percutir, de bater com os pés faiscantes no solo sagrado – mas agora virado do avesso e posto fora de si.

Bruno Duarte
2014

Ficha Técnica

Tânia Carvalho Coreografia e direção
Ulrich Estreich Música
Zeca Iglésias Desenho de luz
Jorge Santos Cenografia de luz
Marta CerqueiraRemontagem
Artistas da CNB Interpretação