Sinopse

“O Lago dos Cisnes” é o grande clássico da história da dança. As sucessivas reposições nas companhias de repertório são quase um ato purificador, idêntico àquele que levará alguns de nós, por exemplo, a regressar sempre a Bach.

Precisaremos assim tanto deste abandono aos velhos mitos e lendas, destas insistentes releituras contemporâneas, desta nova e ousada lógica teatral? Claro que sim, uma vez que dela depende absolutamente a sobrevivência do repertório clássico, cuja linguagem técnica deixa escassa margem a reinterpretações mais criativas, menos tradicionais. A dança clássica, alicerçada em regras rígidas e premeditadas, faz com que os seus intérpretes disponham apenas da pantomima e da técnica para encarnarem personagens psicologicamente quase unidimensionais. Ela só continuará a ser popular se trouxer até nós cisnes que nos sobrevoem, abençoando-nos como o fizeram quando Apolo nasceu, príncipes que nos alertem dos medos e nos convoquem o sonho, barões maléficos que nos desencantem dos nossos sortilégios. Mas, acima de tudo, que todos eles falem de nós e que connosco também dancem.

Rui Esteves, 2013

Ficha Técnica

Fernando DuarteCoreografia
Edgar PêraFilme
P.I.Tchaikovski Música
José António TenenteFigurinos
Nuno MeiraDesenho de luz
Orquestra Sinfónica PortuguesaInterpretação Musical
Pedro NevesDireção Musical
Artistas da CNBInterpretação