Sinopse

Num momento que simbolicamente assinala o fim da temporada, a CNB volta a marcar presença no MFaL, já sem restrições, e com um programa que, como habitualmente, faz ecoar mais alto a missão da instituição desenvolvida ao longo das últimas quatro décadas. Géneros diversos e estéticas que ligam o passado ao presente constituem um programa com o qual esperamos reafirmar a qualidade do elenco artístico daquela que é a principal casa da dança nacional, em jeito de agradecimento ao público que sempre nos acompanha. Neste momento tão aguardado, apresentamos um conjunto obras que espelham o lado clássico, mas também contemporâneo da CNB. Partimos de um lugar de tradição com Concerto Barocco de George Balanchine, para desaguarmos na contemporaneidade de Passo Continuo de Mauro Bigonzetti, seguido finalmente de Snow, criação portuguesa do coreógrafo Luís Marrafa, marcada pela urgência da sua temática, num olhar sobre o degelo provocado pelas alterações climáticas e o sobreaquecimento global. Cientes das múltiplas leituras que estas criações podem suscitar, bem como da importância que a dança pode ter na relação do público com a cultura e as artes, celebramos com a dança ao centro desse largo que também já se tornou parte da nossa casa.


Concerto Barocco

Concerto Barocco começou como um exercício para a School of American Ballet e foi dançado pelo American Ballet Caravan na sua lendária digressão sul americana em 1941. Posteriormente entrou no repertório dos Ballet Russes de Monte Carlo. Em 1948 foi uma das três peças no espetáculo inaugural do New York City Ballet e em 1951 Balanchine elimina definitivamente os figurinos originais, vestindo os interpretes com roupas de treino diário, provavelmente a primeira vez que se via aquilo que passou a ser nomeado como o traje típico de Balanchine para obras contemporâneas. Concerto Barocco é uma obra abstrata desenvolvida a partir da partitura musical de Johann Sebastian Bach. A coreografia corresponde a uma personificação da música nos corpos dos bailarinos, uma característica muito presente na obra do mestre americano George Balanchine.

George Balanchine Coreografia
Johann Sebastian Bach Concerto in D minor for Two Violins, B.W.V., Música
Nanette Glushnak Remontagem Coreográfica
Barbora Hruskova e Rui Alexandre Ensaiadores
Bailarinos da CNB Interpretação
Companhia Nacional de Bailado Produção
BALANCHINE é uma marca registada da ©Georges Balanchine Trust

Passo Continuo

Passo Continuo é um bailado muito corporal. Não relata nada em particular, não contém uma história, expressa apenas encontro e colisão, fusão e separação. Baseia-se nas experiências profissionais, artísticas e da vida em geral, expressas através das experiências e emoções do corpo. Com música original de Antongiulio Galeandro e improvisações sobre a música de Johann Sebastian Bach, esta criação do italiano Mauro Bigonzetti, foi concebida com o objetivo de mostrar vivências profissionais, artísticas e da vida em geral, expressas através das experiências e emoções do corpo.

Mauro Bigonzetti Coreografia
Antongiuglio Galeandro Improvisações sobre a música de Johann Sebastian Bach, Música
Gugliemo Capone Figurinos
Carlo Carri Desenho de Luz 

Snow

Snow parte de duas constatações interligadas: numa época de galopante sobreaquecimento global, a neve está em acelerada desaparição dos nossos Invernos; com esta desaparição, uma outra, porventura menos preocupante, se anuncia: a ausência de bonecos de neve, esses proto-totems que nos mantinham ligados a uma dada tradição folclórica e mitológica dos povos ditos nórdicos. Desta dupla constatação surge uma proposta coreográfica que coordena dois olhares distintos, mas complementares, ao fenómeno da neve enquanto manifestação física e enquanto projeção social. Assim, se a expressão da forma molecular da neve encontrará eco nos movimentos abstratos de um corpo de bailarinos, a progressiva transformação deste movimento em composições fluidas e mais concretas remeterá para esse outro mundo, entre a fantasia e a realidade, onde habitam seres cujas funções lúdica, religiosa ou supersticiosa se confundem e diluem.

Luís Marrafa Coreografia
Tiago Cerqueira Composição musical original
Aleksandar Protic Figurinos
Zeca Inglèsias Desenho de Luz
Freek Damen e Peggy Konik Ensaiadores
Bailarinos da Companhia Nacional de Bailado Interpretação
Companhia Nacional de Bailado Produção

Conheça a programação completa do Millennium Festival ao Largo em festivalaolargo.pt.

Elencos

 

 

Bailarinos e Bailarinas CNBInterpretação